Telefone0800.600.4780 ou (43) 3026.4780, de seg. à sex, das 08:45 às 18:00 Whatsapp (43) 98427.4203
Aportes Adicionais 02

Aportes adicionais: o que são e porque você tem que planeja-los já!

Em um bom investimento de renda fixa, que lhe garanta remunerações acima da inflação e, portanto, mantenha o poder de compra de seu dinheiro, até é verdade dizer que sua aplicação trabalha sozinha. Mas isso não é extrair o máximo das possibilidades dela. Além disso, mesmo para um investidor conservador, essa é uma postura muito passiva.

Deixar de guardar um pouco de dinheiro todos os meses, isto é gastar exatamente quanto se ganha ou, pior, gastar mais do que se ganha, pode amolecer você e torná-lo relapso fazendo, inclusive, que em algum momento faça você resgatar uma parte de seus investimentos. Então, mantenha a postura de guardar sempre um pouco a cada mês.

Os aportes adicionais vão além desses 10% ou 20% que você economiza mensalmente. Trata-se daquele dinheiro extra, que você sabe que receberá em algum momento do ano, seja o décimo terceiro salário ou de algum cliente ou serviço prestado inesperado. Claro que uma parte desse valor pode servir para pagar contas, para prevenir taxas que ainda nem chegaram. Mas uma parte dele certamente deve ser usada para engordar suas aplicações.

Vamos estudar o valor dessas duas coisas. Os aportes mensais, de menor valor, e os aportes extras, com maiores valores.

Sem aportes mensais

Primeiro vejamos uma aplicação de R$ 100 mil sob juros de 0,95% ao mês durante 20 anos: ao final, você teria R$ 967 mil (veja nosso artigo sobre juros compostos).

Com aportes mensais

Agora, vejamos se você depositar todos os meses, 10% de seu salário de R$ 3 mil, ou seja, R$ 300 (supondo que você ganhará R$ 3 mil durante vinte anos, sem nenhum aumento):  o valor chegaria a R$ 1,24 milhão, ao final.

Os aportes mensais de R$ 300, em vinte anos, representaram R$ 72 mil. É matemática básica: R$ 300 vezes 12 (meses) vezes 20 (anos).

A diferença total entre a hipótese sem aportes mensais e a hipótese com aportes mensais é de R$ 274 mil. Os aportes, como vimos, foram de apenas R$ 72 mil. Portanto, esses aportes foram remunerados com R$ 200 mil em vinte anos.

Com aportes mensais e aportes extras

Agora, se todos os anos você adicionar metade de um salário extra (o décimo terceiro ou os honorários por um serviço ou um cliente), digamos R$ 1500, só em dinheiro bruto, em 20 anos, serão R$ 30 mil. Mas esse valor, sob os juros de 0,95% ao mês de nossa hipótese, vai render aproximadamente R$ 84 mil, totalizando R$ 115 mil.

Somando tudo, você terá perto de R$ 1,35 milhão em vinte anos.

Bem mais que os R$ 967 mil iniciais, se deixasse os seus R$ 100 mil por conta própria.

Conclusão

É claro que neste exemplo, para facilitar o raciocínio, escolhemos desconsiderar a inflação. Com ajuda de um agente autônomo de investimentos da Equipe Trader você vai conseguir escolher as melhores aplicações que proporcionem remunerações acima dela, proporcionando ganhos reais. Assim, em um período tão curto quanto 20 anos – bem menos que aquilo que o governo espera para você se aposentar – você terá um patrimônio que lhe dará segurança e conforto, para você e para os seus.

Avaliação dos Leitores
[Total: 18 Média: 3.2]

[contact-form-7 404 "Not Found"]
Avaliação dos Leitores
[Total: 18 Média: 3.2]