Telefone0800.600.4780 ou (43) 3026.4780, de seg. à sex, das 08:45 às 18:00 Whatsapp (43) 98427.4203
GANHEI UMA BOLADA 03cc

Ganhei uma “bolada”(herança, ação judicial, FGTS, loteria)! Como investir o dinheiro ‘extra’?

Ganhar na Mega-Sena ou receber uma grande herança é uma realidade de poucos sortudos. Mas, como dizia um amigo meu, com seu bilhetinho na mão: não custa sonhar, fazer as contas e imaginar como seria, se fosse.

A primeira coisa que você deve saber, agora que você é um feliz ganhador dessa loteria é que os impostos já estão pagos: o valor do prêmio é o valor com o qual você ficará.

Se a sua bolada vem de fontes como herança, ação judicial e FGTS, a tributação varia.

Heranças têm incidência de ITCMD (Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação), cuja alíquota varia de estado para estado. Ganhos judiciais têm recolhimento de imposto de renda que varia de caso para caso, feito por quem está pagando ou pela instituição bancária responsável pelo pagamento. O FGTS é isento.

Cada uma dessas fontes de aportes financeiros consideráveis teria um valor diferente. Mas, mais uma vez, vamos sonhar.

Digamos que você tenha ganho a Mega-Sena da virada. Um valor de, talvez, R$ 100 milhões.

Você deve estar imaginando: impossível gastar tudo isso em uma vida. Acredite. É possível sim. Tem muita gente que conseguiu em poucos anos.

Você precisa elaborar um plano para que esse dinheiro se multiplique e garanta a segurança e o conforto de sua família talvez por muitas gerações.

Alguns especialistas dizem que, além dos investimentos a seguir, você deve de início, fazer um “retiro” a fim de se habituar com a ideia de ter muito dinheiro. Parece bobagem, mas é o tipo de informação com a qual não estamos habituados a lidar. Pouca gente está. Então separe alguns milhares de reais só para isso. De qualquer forma, parece uma boa ideia.

Digamos que você coloque esses R$ 100 milhões, apenas na poupança, o que não seria a melhor opção, arredondando os juros anuais para 6%, você teria um “salário” de R$ 500 mil por mês.

Mas você pode fazer melhor e, ainda assim, manter a segurança de seu dinheiro. Digamos que você deixe “apenas” R$ 10 milhões na poupança (mas ainda sim, seria melhor em CDB). Isso lhe dá R$ 50 mil por mês para viver até se acostumar com essa sua nova vida “difícil” e entender quanto realmente precisa a cada dia sem dilapidar sua fortuna.

Os R$ 90 milhões podem ser aplicados da seguinte maneira (é só uma ideia de tantas possíveis e certamente um bom agente autônomo de investimento terá outras ideias).

Uma boa opção é colocar, parte do valor restante, no DPGE (Depósito a Prazo com Garantia Especial), modalidade de renda fixa oferecida pelo governo e que rende mais que a média na modalidade. Esse dinheiro seria continuamente reinvestido a fim de se tornar uma fonte permanente de segurança e renda. E outra parte em Títulos Públicos/ Tesouro Direto variados, verifique no seu home broker ou fale com seu agente autônomo de investimento para verificar quais são os melhores disponíveis no momento do investimento, já que são muitas opções e variam bastante de tempos em tempos, pode ser ainda um LCA, LCI ou outro fundo de investimento.

Com a ajuda do seu Agente Autônomo de Investimento você pode também aplicar cerca de 5% em uma carteira de investimentos com um risco um pouco maior, este profissional saberá escolher produtos que podem impulsionar sua carteira com exposição moderada e trazer um excelente rendimento com renda variável.

Ainda sim você poderá reservar pelo menos uns R$  5 ou 10 milhões que poderão ser usados para comprar uma casa, um carro e resolver outras questões imediatas de sua nova vida.

Honestamente, investindo em aplicações conservadoras, não gastando como se fosse um marajá das histórias infantis, como se esse dinheiro não fosse acabar nunca (pois acaba), dificilmente você terá problemas financeiros novamente.

Avaliação dos Leitores
[Total: 6 Média: 3.3]

[contact-form-7 404 "Not Found"]
Avaliação dos Leitores
[Total: 6 Média: 3.3]