Telefone0800.600.4780 ou (43) 3026.4780, de seg. à sex, das 08:45 às 18:00 Whatsapp (43) 98427.4203
Untitled 3 01

Quais os tipos de títulos do Tesouro Direto?

Series de Posts: Renda Fixa

Quais os tipos de títulos do tesouro direto?

Investir em Títulos do Tesouro Direto é uma das formas mais seguras de renda fixa e, muitas vezes, com uma remuneração muito superior à caderneta de poupança.

Este artigo visa explicar o que são os títulos, quais as diferenças entre cada um deles, quais são os parâmetros de remuneração e qual a vantagem dos diferentes papéis à disposição do investidor interessado.

O gerente do seu Banco não trabalha para você, ele trabalha para o Banco. Conheça a Equipe Trader AAI e tenha acesso aos melhores produtos do mercado Financeiro. Clique aqui.

O que são os Títulos do Tesouro Direto?

Os títulos públicos ou títulos da dívida pública ou, ainda, títulos do Tesouro Direto são emitidos pelo governo para captar recursos para seus projetos.

Ao comprar um título público você está fazendo um empréstimo ao país, por isso eles são considerados tão seguros: se a economia do país estiver tão ruim ao ponto de o Estado não ser capaz de honrar seus compromissos, provavelmente todo o resto já estará bem pior.

O título público representa o compromisso de que o governo pagará o valor emprestado em uma determinada data acrescido de um valor atrelado a algum índice (inflação, juros e taxa Selic, etc).

Atualmente é possível comprar títulos públicos diretamente através do site Tesouro Direto. Para fazer isso é preciso ter CPF e uma conta com a Equipe Trader/XP Investimentos.

Entre elas, podemos destacar:

  • rentabilidade;
  • taxas de administração baixas mesmo para baixos valores;
  • possibilidade de diversificação: com rentabilidades pós e pré-fixadas e atreladas a diferentes índices e, assim, você pode escolher o que é melhor para determinado momento econômico e para o prazo de seu investimento;
  • possibilidade de garantir seu futuro em uma poupança de longo prazo;
  • gerenciamento de seus investimentos com comodidade e segurança através da internet;
  • liquidez garantida pelo Tesouro Nacional;
  • possibilidade de começar a investir ou fazer aportes baixos, na casa das centenas de reais.

A quantidade mínima de compra é a fração de 0,01 título, ou seja, 1% do valor de um título, desde que respeitado o valor mínimo de R$ 30,00. O investidor pode comprar 0,01 título; 0,02 título; 0,03 título e assim por diante. Não há limite financeiro para venda. Já o valor máximo para aplicação é R$ 1.000.000,00 por mês.

Tipos de Títulos

Os títulos podem ser classificados como:

  • pré ou pós-fixados
  • com pagamentos de juros semestrais ou no vencimento
  • e de acordo com o índice sobre o qual será feita a remuneração

O Tesouro Direto coloca a disposição uma série limitada de vencimentos para cada tipo de título.

Por exemplo, atualmente, existem à disposição NTNB-Principal com vencimento para 2019, 2024 e 2035. O NTNB tem títulos disponíveis com vencimento para 2020, 2035 e 2050. Há LTN para 2018 e 2021, NTNF para 2025 e LFT para 2021.

Cada data de vencimento apresenta uma taxa de remuneração diferente, que varia de momento a momento, e, por isso, o investidor deve levar em conta esse fator na hora de adquirir títulos.

Você pode vender seus títulos antes do vencimento, mas precisa verificar se isso não implicará em prejuízo ou em ganhos menores que o esperado. De um modo geral, é mais vantajoso esperar o vencimento do título. A maior parte dos investidores de pequeno porte encara os Títulos da Dívida Pública como uma forma de investimento de longo prazo.

Os tipos de títulos da dívida pública, atualmente, são os seguintes:

LFT (Letras Financeiras do Tesouro): pós-fixados que são remunerados pela taxa Selic. Possui alta liquidez. Recebe juros e uma remuneração principal. Para saber quanto este título paga ao ano, basta consultar a taxa Selic atual.

LTN (Letras do Tesouro Nacional): pré-fixados, ou seja, tem um valor fixo pelo qual serão resgatados na data do vencimento. Costumam render mais que as LFT, mas não necessariamente. Atualmente, paga 15,51% ao ano, para vencimento em 2018, e 15,44 ao ano para vencimento em 2021.

NTN-F (Notas do Tesouro Nacional, Série F): pré-fixados como as LTN, porém com pagamentos de juros semestrais (cupons). Atualmente, paga 15,42% ao ano para o vencimento de 2025.

NTN-B (Notas do Tesouro Nacional, Série B): títulos atrelados à inflação, corrigidos pelo IPCA e acrescidos de uma remuneração pré-fixada. É uma opção para quem quer proteção contra a inflação. Atualmente, paga ao ano 7,07%, 7% e 6,92% para vencimentos de 2020, 2035 e 2050, respectivamente, somados ao IPCA do período.

NTN-B Principal: não tem pagamentos semestrais de juros (cupons) e paga toda a remuneração acumulada no vencimento. Ideal para objetivos de longo prazo. Paga atualmente, 7,03%, 7,09% e 6,99% ao ano para os vencimentos de 2019, 2024 e 2035, respectivamente, somados ao IPCA do período.

Tenha acesso aos melhores Produtos Financeiros e a melhor Assessoria do Mercado. Conheça Equipe Trader AAI. Clique aqui.

Como escolher

Consideradas essas características, você deve levar em conta alguns critérios para escolher os títulos em que investirá.

Pré-fixados

Tesouro prefixado (LTN) – Esses títulos são indicados se você acredita que a taxa prefixada será maior que a taxa de juros básica da economia (Selic). O pagamento dos juros desse título só acontece no final do investimento. Ideal para quem não pretende usar os juros como um complemento de renda e pode esperar.

Tesouro prefixado com juros semestrais (NTNF) – Esses títulos são indicados se você acredita que a taxa prefixada será maior que a taxa de juros básica da economia (Selic). O pagamento dos juros acontece semestralmente e pode servir como um complemento de renda. Observe que incide Imposto de Renda sobre esses juros semestrais, seguindo-se a tabela regressiva. Se você pretende reinvistir esses juros, vale mais a pena o LTN, que só paga os juros ao final do investimento.

Os demais títulos são pós-fixados.

Pós-fixados

Tesouro Selic (LFT) – Indicado se você acha que a taxa Selic vai subir, pois a rentabilidade é indexada à taxa de juros básica da economia. O valor de mercado desse título apresenta baixa volatilidade, o que pode ser interessante no caso de haver necessidade de se vender antecipadamente, antes do vencimento. Portanto, é indicado para aquele investidor que não sabe quando precisará resgatar seu investimento. Em caso de se segurar o título, os juros são pagos apenas ao final do vencimento.

Tesouro IPCA + Juros Semestrais (NTNB): Este é especial para aquele investidor que quer preservar o poder de compra de seu dinheiro independentemente da inflação. Ele é corrigido de acordo com o IPCA, somado a um determinado juro. Paga juros semestrais, então é perfeito para quem quer um complemento de renda. Porém, há incidência de imposto de renda de acordo com a tabela regressiva. Se a intenção é reaplicar os juros, talvez seja mais interessante optar por um título da modalidade seguinte.

Tesouro IPCA + Juros (NTNB Principal) – Também para aquele investidor que quer preservar o poder de compra de seu dinheiro independentemente da inflação. Ele é corrigido de acordo com o IPCA, somado a um determinado juro. O investidor só recebe o valor investido corrigido pelo IPCA mais os juros contratados ao final, no vencimento do título. Ideal para quem pode esperar até essa data.

Avaliação dos Leitores
[Total: 25 Média: 3.4]

[contact-form-7 404 "Not Found"]
Avaliação dos Leitores
[Total: 25 Média: 3.4]