Vitrine CDB

Saiba tudo sobre CDB e garanta uma boa rentabilidade de seu dinheiro

Os CDB (Certificados de Depósitos Bancários) são uma das maneiras mais simples, seguras e rentáveis para diversificar seu rendimento em renda fixa.

Se escolher da maneira correta, o CDB oferece garantias de ganhos acima da inflação e até mesmo liquidez, caso você precise de seu dinheiro durante a duração do investimento.

O rendimento é diário.

Ao ler este artigo, você aprenderá tudo sobre CDB, de forma direta e extremamente didática.

Possivelmente, está lendo porque procura uma opção à caderneta de poupança. Talvez até já conheça e já invista em Certificado de Depósito Bancário, mas quer entender melhor o seu funcionamento e, então, fazer melhores escolhas no futuro.

Ao terminar de ler este artigo, saberemos sem sombra de dúvida:

 

  1. O QUE É CDB

o que é cdb

O Certificado de Depósito Bancário ou CDB nada mais é do que um recurso dos bancos a fim de captar dinheiro.

Isto é: ao investirmos em CDB estamos emprestando dinheiro à instituição financeira, que lhe devolverá esse valor com juros mais tarde.

Durante esse tempo, o banco usa o seu dinheiro em suas próprias movimentações.

Nenhuma novidade nisso. Até a caderneta de poupança é um “empréstimo” ao banco, que utiliza esse capital e, então, faz financiamentos a terceiros a juros muito superiores aos que paga aos investidores.

Saber isso é muito importante para entender por que, muitas vezes, bancos médios e pequenos oferecem remunerações melhores em CDB que bancos grandes e “famosos”.

O CDB, então, é mais um recurso dos bancos para captar dinheiro, assim como LCI, LCA e outros.

Ainda que cada um desses se enquadre no que se chama amplamente de renda fixa, todos têm características bem diferentes uns dos outros e, ao ler este artigo, você aprenderá as do Certificado de Depósito Bancário.

Legislação

O artigo 30 da Lei Nº 4.728, de 14 de julho de 1965 (Lei do Mercado de Capitais) regulamenta os CDB. Os bancos só tiveram autorização para emiti-los um ano depois, com a publicação do Decreto-lei Nº 14, de 29 de julho de 1966.

  1. POR QUE EXISTEM OS CERTIFICADOS DE DEPÓSITO BANCÁRIO

porque existem os certificados

Boa parte do lucro dos bancos vem dos empréstimos e financiamentos que essas empresas fazem a terceiros que estão dispostos a pagar juros por isso.

Mas para ter esse dinheiro a ser emprestado, antes, os bancos precisam captar esse capital. Assim, eles usam diversos recursos. O CDB é um deles, mas também existem o LCA, o LCI, o CRA, o CRI e muitos outros sobre os quais falaremos em artigos futuros.

Para ter uma ideia, até o dinheiro de sua conta corrente é usado (com limitações, visto que os saques de clientes não podem superar o dinheiro movimentado a partir dessa fonte). Mas você não ganha nada com isso: este é o preço da liquidez, isto é, ter esse dinheiro a sua disposição a qualquer momento tem o custo de não render nada.

Os CDB, então, são um desses recursos dos bancos com intenção de captar dinheiro e, como normalmente eles têm um prazo maior e uma liquidez menor que uma conta corrente, os bancos podem usar esse recurso com mais flexibilidade e liberdade.

Ao adquirirmos um CDB passamos a ter um título de dívida privado – uma promessa de pagamento futuro – que afirma que o banco nos deve dinheiro e nos devolverá depois de um tempo, tudo acrescido de juros.

Um CDB ou Certificado de Depósito Bancário é extremamente seguro até o valor de R$ 250 mil, independentemente do tamanho ou da solidez da instituição que o emite por um motivo que veremos mais à frente neste artigo.

  1. PRA QUEM É O CDB

para quem é

O CDB é indicado a quem tem um perfil mais conservador. O Certificado de Depósito Bancário também serve para quem gosta de risco ou está ciente das implicações de investimentos com maiores variáveis (como a bolsa de valores) mas ainda assim quer guardar parte de seu capital em uma aplicação extremamente segura e com retorno garantido, ainda que menor que as promessas do mercado variável.

É indicado para investimentos de curto a longo prazo. Mas lembre que qualquer resgate antecipado de seu investimento, no caso de CDB sem liquidez, pode resultar em uma rentabilidade inferior à esperada.

  1. TIPOS DE CDB (Certificados de Depósito Bancário)

3 tipos

Existem três tipos de CDB:

  • Prefixado: já se sabe quanto ganhará ao final da aplicação
  • Pós-fixado: não se sabe quanto ganhará ao final da aplicação pois ele está atrelado a um índice, geralmente um porcentagem do CDI
  • Juros mais inflação: juros (prefixados) somados à inflação (índice pós-fixado)

Qual o melhor? Descubra qual o CDB mais adequado ao seu perfil

CDB Prefixado

Como o nome já diz, o rendimento do dinheiro investido é determinado no momento do investimento.

A taxa anual do CDB é combinada previamente. Essa taxa anual de rendimento é, então, convertida em juros diários equivalente (considerando que são juros compostos e não simples e também 252 dias úteis).

Finalmente, a cada dia útil, o valor investido é reajustado para que, ao final do período se obtenha os ganhos combinados em forma de juros anuais.

Do ponto de vista de resultado, a conta é bem simples.

Um CDB com juros de 12% ao ano prefixados em que se tenha investido R$ 10 mil terá uma rentabilidade de R$ 1200 ao final de um ano.

Nesta modalidade, como se trata de juros compostos, veremos a cada dia útil o dinheiro aumentar cada dia um valor um pouco maior. Mas, no fim, o que você terá serão os 12% anuais de qualquer maneira (pelo menos no nosso exemplo).

Quando o CDB prefixado é mais adequado? Quando acha que a taxa de juros básica da economia (Selic) vai cair. Assim, mesmo que a taxa de juros caia (normalmente a que os pós-fixados são direta ou indiretamente atrelados) garante-se uma rentabilidade maior.

CDB pós-fixado

O CDB pós-fixado é, geralmente, atrelado a uma porcentagem do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). O CDI é uma taxa que corresponde aos juros de empréstimos de curtíssima duração (1 dia) que os bancos fazem entre si com o objetivo de sanarem seus caixas. O CDI também pode ser chamado de taxa DI.

Como o CDI varia ao longo dos dias, não é possível dizer com certeza quanto renderá um CDB pós-fixado.

Imagine que um banco ofereceu um CDB que rende 115% do CDI (dica: normalmente taxas assim só existem em bancos menores, com prazos maiores e menos liquidez).

No momento em que escrevo este artigo, visitei a página do Cetip (responsável por calcular o CDI diariamente) e descobri que a taxa DI ou o CDI é de 10,14% ao ano.

Para saber a quanto meu CDB que pagará 115% do CDI corresponde, multiplico 10,14% por 1,15 (o mesmo que 115%) e tenho o valor de 11,66%.

Como o rendimento do CDB é diário, esse juro anual é convertido para diário, considerando-se 252 dias úteis.

Porém, amanhã, a taxa DI pode aumentar ou diminuir, influenciando o rendimento diário.

O que influencia a taxa DI ou o CDI? A taxa Selic, que é determinada pelo Banco Central através das reuniões do Copom, e as expectativas do mercado quanto à possibilidade de ela subir ou cair. Atualmente, a Selic é de 10,25% ao ano.

Se a taxa Selic cair ou houver perspectiva de queda, o rendimento de um CDB pós-fixado acompanha essa queda.

Apesar disso, essa modalidade é considerada segura, visto que não importa o que aconteça, o CDB vai acompanhar os juros básicos da economia, subam eles ou caiam. Já um CDB pós-fixado, pode ficar ancorado em uma rentabilidade fixa enquanto os juros sobem. Considerando o longo prazo e o quanto a economia brasileira é volátil, nem sempre isso é uma boa ideia.

O CDB pós-fixado também é o mais comum oferecido pelos bancos e você vai encontrar em versões que vão de 70% a 120% do CDI. Algumas vezes até menos ou mais, dependendo de suas características.

CDB Juros+IPCA

Não chega a ser errado dizer que este tipo de Certificado de Depósito Bancário é uma mistura de pós-fixado com prefixado.

A parcela prefixada corresponde aos juros combinados (conhecidos) e a parcela pós-fixada ao índice inflacionário (IPCA), que não se sabe qual será no futuro.

A única coisa que é certa é que o investidor ganhará acima da inflação, garantindo o poder de compra de seu dinheiro.

Por exemplo: um CDB que paga o IPCA+5%. Se a inflação foi de 3% e você investiu R$ 10 mil, ao final do ano, terá 8% de remuneração ou R$ 800.

Ainda são poucos bancos que oferecem esse tipo de CDB, mas se ficou curioso pode conferir a variação da inflação em 2017 neste link.

Podemos dizer que este tipo de CDB é o ideal a quem gostaria de comprar algum bem de consumo em uma data futura e quer garantir que esse dinheiro tenha o mesmo poder de compra quando essa data chegar.

  1. VALOR MÍNIMO PARA INVESTIR EM CDB

valor minimo para investir

Você vai encontrar CDB a partir de até R$ 100 no mercado – sim, um ou outro banco grande oferece isso -, mas devo dizer que só se vai encontrar taxas vantajosas de remuneração a partir de R$ 5 mil no momento em que lhe escrevo. Se tiver esse valor, investir através de uma corretora (e não através de um banco “famoso”) e estiver disposto a colocar seu dinheiro em um investimento com menos liquidez, por um prazo mais ou menos longo e num produto de um banco menor, poderá adquirir uma rentabilidade vantajosa.

A grande verdade é que as taxas de remuneração começam a ficar realmente interessantes para valores acima de R$ 50 mil. Porém, por R$ 5 mil já é possível encontrar até 118% do CDI.

Sobre isso, falaremos no próximo item. Continue a leitura e entenda mais sobre a rentabilidade do CDB.

  1. O CDB MAIS RENTÁVEL

o cdb mais rentavel

Como foi explicado acima, os bancos precisam oferecer investimentos como o CDB e outros para captar dinheiro e fazer os empréstimos dos quais obtêm seus lucros.

Bancos grandes e famosos têm muitos clientes. Clientes que, por desconhecimento ou comodidade, aceitam investir em CDBs que pagam uma baixa remuneração já que foi oferecido pelo gerente em que confiam.

O que esses clientes não sabem é que poderiam, através de uma corretora, investir em CDB de um banco menor que, por não ter o mesmo tamanho que o banco “famoso” nem o mesmo investimento em propaganda e marketing, precisa oferecer taxas de remuneração mais competitivas.

Porque esse banco pequeno também precisa captar dinheiro.

E melhores juros são a maneira de atrair esse dinheiro.

Assim, anote aí: a taxa de remuneração de um CDB costuma ser inversamente proporcional ao tamanho do banco.

  1. CDB DE “BANCOS PEQUENOS”

cdb de mancos pequenos

Mas não é perigoso investir em um banco pequeno? Ele não pode quebrar? Claro que pode. Até bancos grandes e aparentemente sólidos podem.

É aí que entra um personagem muito importante em nossa história, presente em diversos investimentos de renda fixa: o Fundo Garantidor de Crédito.

O Fundo Garantidor de Crédito assegura valores de até R$ 250 mil por CPF e por instituição investidos em CDB (e outros investimentos): não só o valor investido como também os respectivos juros, correspondentes ao tempo do investimento.

Portanto, até R$ 250 mil, investir no Super Mega Banco e no Micro Estamos Começando Banco do Bairro tem o mesmo risco.

Outra dica importante. Se você tem mais de R$ 250 mil e se quer ter essa garantia, precisará diversificar seu dinheiro em CDBs de diferentes bancos. Dificilmente os dois ou três bancos em que você estará investindo quebrarão ao mesmo tempo, mas o Fundo Garantidor de Crédito garantirá seu dinheiro caso qualquer um deles fique insolvente.

  1. INVESTIR EM CDB ATRAVÉS DE CORRETORA

Investir em CDB através de corretora

Mas a melhor maneira de acessar CDBs de uma imensa gama de instituições, grandes e pequenas, é através de uma corretora de valores.

Assim, esqueça o seu banco: o seu gerente é ótimo e certamente é uma boa pessoa, mas ele só pode ofertar CDB de sua própria instituição que, nem sempre, tem as melhores taxas de rentabilidade.

Outros dois fatores importantes que vão influenciar a rentabilidade do CDB: liquidez e tempo.

Se estiver disposto a deixar seu dinheiro mais tempo com a instituição bancária para ela poder trabalhar com ele, ela também estará disposta a pagar com mais. Se aceitar não retirar o dinheiro da aplicação no meio da vigência, do mesmo modo, para o banco seu dinheiro tem mais valor, pois aí sabe-se que pode contar com ele até o vencimento do CDB.

  1. OS 4 FATORES QUE MELHORAM O CDB

4 fatores

Assim, são 3 os fatores que determinam um CDB mais rentável:

  1. Banco menor (geralmente): bancos menores precisam competir com bancos grandes que já têm uma grande carteira de clientes, investem em marketing e publicidade e já tem todas as vantagens; a única maneira de fazer isso é pagar mais pelo dinheiro que se está “emprestando” a eles
  2. Prazo maior: os bancos aceitam pagar mais quando se abre mão de sua liquidez e, assim, eles possam ter essa liquidez
  3. Liquidez menor: mesmo caso do item acima; existem CDB com prazo de carência, data a partir da qual têm liquidez diária; pode-se optar por uma modalidade dessas se achar que precisará de liquidez depois de um tempo
  4. Valor maior: quanto maior o valor que se está disposto a investir, maiores os juros que o banco está disposto a pagar

E eu não preciso ter conta no banco para investir no CDB por ele emitido?

Não.

Você pode fazer isso através de uma boa corretora de valores. Como explicamos, além de lhe dar acesso a uma variedade bem grande de CDBs de diferentes bancos, grandes, médios e pequenos, isso desburocratiza bastante o processo. Já pensou ter que abrir conta em cada banco em que você deseja investir em CDB?

  1. CDB VALE A PENA?

vale a pena

Se você quer ter uma rentabilidade melhor que a da caderneta de poupança, este é o seu investimento. O CDB facilmente remunera melhor que a caderneta de poupança. Como verá na tabela abaixo, são poucos os cenários em que o tradicional mas perdedor investimento do brasileiro teria vantagem sobre o CDB.

Mesmo considerando-se o Imposto de Renda, um CDB que paga 100% do CDI tem uma rentabilidade melhor do que a caderneta de poupança.

Por isso, é muito importante que se verifique quanto do CDI o seu CDB irá pagar. Abaixo de 100% a aplicação começa a não ficar tão interessante.

Considere o imposto de renda sobre o CDB

Considere também que o Imposto de Renda vai sempre subtrair entre 22,5% – para menos de seis meses de aplicação – e 15% para mais de dois anos de aplicação. Assim, no nosso exemplo de 100% do CDI, teríamos na verdade no mínimo 77,5% do CDI e no máximo 85% do CDI.

Observe na tabela abaixo que, mesmo considerando o Imposto de Renda, a Poupança só faz frente ao CDB com uma Selic a 8,5% ao ano e, ainda assim, sobre CDBs que pagam apenas 90% do CDI.

tabela cdb

 

  1. VANTAGENS DO CDB (CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO)

vantagens

O CDB é uma das principais opções de investimento de renda fixa para investidores principiantes e para investidores experientes. Não é à toa, pois ele tem diversas vantagens.

  1. Rentabilidade maior que a da poupança: como foi demonstrado no item anterior. Em alguns casos, os rendimentos podem ser o dobro dos rendimentos da poupança.
  2. Possibilidade de liquidez diária: existem CDBs que oferecem liquidez diária. Isto é, não precisa se preocupar com o tempo que ele ficará investido e, se precisar, pode sacar o valor necessário. Mas lembre-se de que CDB com liquidez diária pode implicar rendimentos menores.
  3. Rentabilidade diária: você vê seu dinheiro crescer diariamente de acordo com a taxa anual transformada em seu equivalente diário
  4. O CDB é protegido pelo FGV: investir em um CDB de banco grande ou pequeno não faz diferença em termos de segurança. Até R$ 250 mil são assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito. E não só o valor investido: também os rendimentos obtidos até o momento da cessação do investimento. Até esse valor, o investimento é de baixíssimo risco
  5. Serve como garantia ao se investir na bolsa de valores: o Certificado de Depósito Bancário pode ser usado em sua corretora como margem de garantia ao se investir na Bolsa de Valores. Assim, consegue-se rentabilizar o seu dinheiro duas vezes, diversificando sua carteira de investimentos.
  1. DESVANTAGENS DO CDB

desvantagens

O CDB é uma excelente opção de renda fixa. Mas o Certificado de Depósito Bancário tem algumas desvantagens que devem ser consideradas na hora de incluí-lo em sua diversificação de aplicações.

  1. Incidência de impostos: o CDB (Certificado de Depósito Bancário) obedece a tabela regressiva do imposto de renda: um máximo de 22,5% para investimentos inferiores a 6 meses a 15% para investimentos superiores a 2 anos. Todo e qualquer dinheiro que sair do investimento antes de 30 dias tem incidência regressiva de IOF. Acima de 30 dias, não há incidência de IOF.
  2. Se quer ter taxas vantajosas, é preciso procurar CDB cujo valor mínimo seja de R$ 5 mil. Se compararmos com o Tesouro Direto, que tem investimento mínimo de R$ 30, ele se torna menos acessível para quem está começando. Além disso, há casos em que o Tesouro Direto oferece títulos bem vantajosos, indexados pela Selic, inclusive com liquidez diária

Quanto à liquidez, confira alguns CDB com liquidez diária que pagam 100% do CDI ou mais.

  1. CDB É MESMO MELHOR QUE A POUPANÇA?

melhor que póupança

Se, depois de tudo o que leu, ainda está em dúvida, vamos ao caso de 2015.

Em 2015, a poupança rendeu a TR+0,5% ao mês, o que dá aproximadamente 8% em um ano.

Acontece que, naquele ano, a inflação oficial foi de 10,67%. Isto é, a caderneta de poupança perdeu para a inflação. Ainda que você visse seu dinheiro crescer a cada aniversário do investimento (afinal, o rendimento da poupança não é diário como o do CDB), mesmo assim o seu capital estaria perdendo para o aumento de preços dos produtos e serviços.

Mesmo descontando-se o imposto de renda, um investimento naquele ano em CDB teria facilmente o dobro do rendimento da caderneta de poupança e certamente ganharia da inflação.

Confira neste artigo uma maneira de analisar as vantagens e desvantagens da caderneta de poupança em relação ao CDB.

  1. CDB É MELHOR QUE LCI OU LCA?

melhor que lci ou lca

As opções mais populares de CDB e LCI são as pós-fixadas, indexadas por uma porcentagem do CDI. A grande diferença entre as duas, do ponto de vista do rendimento, é que o CDB tem incidência do imposto de renda e o LCI não.

Outro ponto importante: LCI não tem liquidez. O dinheiro fica mobilizado até o fim da aplicação cujo prazo mínimo é de três meses. CDBs têm opções com liquidez embora algumas das opções mais rentáveis não a tenham.

Como incluir o imposto de renda nessa conta

Grosso modo, daria para dizer que um CDB que paga 100% do CDI durante dois anos, por ter 15% de imposto de renda, equivale a um LCI de dois anos que paga 85% do CDI.

Vamos a outros exemplos.

O que é melhor? Um CDB que paga 115% do CDI ou um LCI que paga 90% do CDI?

Vamos imagina teremos apenas 5 meses de investimento. Portanto, a tabela regressiva do imposto de renda ficará com 22,5% de seu lucro no caso do CDB. De antemão, tiramos 22,5% em pontos percentuais do CDB.

E é como se ele pagasse 89,125% do CDI. Nesse caso, o LCI que paga 90% do CDI vence por estreita margem.

Talvez fosse o caso então de optar por um prazo maior, de dois anos, em que o imposto só vai tomar 15% do lucro, dando-nos uma porcentagem real do CDI de 97,75%: o lucro líquido seria quase 10% superior.

O mesmo LCI continuaria a não ser tributado, mas continuaria pagando 90% do CDI, sendo inferior neste exemplo.

Escolher entre um e outro e diversas outras opções de renda fixa é muitas vezes mais complicado do que fazer essas contas, pois envolve estar a par dos cenários econômicos de prazo mais ou menos longo.

 

  1. COMO ESCOLHER A LIQUIDEZ E O PRAZO DO CDB

COMO ESCOLHER A LIQUIDEZ E O PRAZO DO CDB

  • Nem todos os CDB têm liquidez diária, mas os sem liquidez diária costumam ter a melhor remuneração. Assim, se você tiver um dinheiro que possa ficar “esperando” essa opção é melhor. Por exemplo: você sabe que vai trocar de carro daqui a dois anos e quer um modelo melhor, então pode guardar a diferença em um CDB para essa data
  • Por outro lado, se não tem ideia do que pretende fazer com esse dinheiro e pode usá-lo a qualquer momento, talvez a melhor solução seja o um CDB com liquidez diária ou, ainda, um CDB escalonado cujo rendimento aumenta com o tempo de permanência no investimento

Faz todo o sentido. Liquidez sempre tem um preço. Se abrir mão da liquidez para que, por outro lado, o banco possa usufruir dela por um certo tempo, ele estará disposto a pagar um pouco mais por essa liquidez. Por isso, CDB com prazo maior e sem liquidez costumam ter melhores remunerações.

Não existe um prazo mínimo para esse investimento. Tudo o que precisa saber é o objetivo desse dinheiro que você está investindo em CDB e se você pode ou não precisar dele durante o período.

Ao fim do prazo do investimento, o dinheiro é depositado em sua conta somado aos juros acordados mesmo que você não solicite.

  1. POSSO VENDER MEU CDB?

Posso vender meu CDB

Quando não há uma carência estipulada, você precisa manter seu CDB até o final do investimento. Se, nesse caso, precisar do dinheiro, pode vender seu CDB a outro investidor, mas, então, precisará que haja demanda pelo título, isto é: precisa de alguém interessado na sua aplicação com todas as características que ela já tem. O que pode acontecer é que ofereçam um baixo valor por ele: lembra quando eu falei do preço da liquidez?

CDB com carência

Um CDB com carência oferece as características de um CDB com prazo de vencimento e um CDB com liquidez. Acontece que a liquidez só é possível depois do prazo de carência, que costuma ser anterior ao vencimento. Assim, há um período entre o prazo de carência e o do vencimento em que o investidor pode sacar a sua aplicação quando bem desejar.

Fique atento

Algumas instituições, ao serem questionadas se o CDB que oferecem tem liquidez, acabam dizendo que tem, sim, mas só ao final do prazo de carência ou no vencimento. O que, na prática, é dizer que não tem liquidez. É apenas um jogo de palavras. Liquidez diária é quando se pode sacar o seu dinheiro a qualquer dia.

  1. CUSTOS E TAXAS DO CDB

CUSTOS E TAXAS DO CDB

A XP Investimentos não cobra taxa para o CDB. Fundos DI – que também acompanham o CDI – e o Tesouro Direto. No caso do Tesouro Direto, ainda que a corretora não cobre, há uma taxa da B3 (antiga BM&FBovespa), a bolsa de valores de São Paulo.

Para investimentos inferiores a 30 dias, o investidor paga IOF regressivo até chegar a zero a partir do último dia. No entanto, é incomum que alguém decida investir um grande valor em CDB por um período inferior a 30 dias.

A tabela do imposto de renda para o CDB é regressiva. A alíquota varia de acordo com o prazo da aplicação: 22,5% do lucro para investimentos de até 180 dias; 20% para 181 a 360 dias; 17,5% para 361 a 720 dias e 15% para 721 dias ou mais.

TABELA CDB 2

Como explicamos no item anterior, calcular o impacto do imposto sobre seu investimento em CDB é importante, pois entre 22,5% e 15% há uma diferença de quase 10% nos rendimentos.

Assim, se você puder planejar o uso do CDB para objetivos superiores a dois anos terá grande vantagem. Para períodos menores, talvez outras aplicações sejam mais indicadas dependendo do caso.

Como declarar o CDB no imposto de renda

Você declara o investimento em CDB anualmente, juntamente com todos os seus outros investimentos, no informe anual para a Receita Federal, em abril. Isso é fácil. Toda corretora envia um informe de investimentos que só precisa ser copiado para a declaração de ajuste. O bom é que não é necessário pagar DARF ou preencher formulários especiais durante o ano. É tudo simplificado para o investidor do CDB.

  1. QUAL A RENTABILIDADE DO CDB

rentabilidade cdb

IMAGEM IMAGEM IMAGEM

Mais do que tentar adivinhar de quanto será a rentabilidade de seu CDB, o mais importante é estar atento aos juros e à inflação do País.

Por exemplo, neste momento, mesmo com toda a crise institucional que enfrentamos, todos os economistas falam em queda de juros e da inflação.

Cabe saber se vale mais a pena investir em um CDB prefixado que teriam larga vantagem sobre um CDB que estaria atrelado aos juros ou à inflação mais juros fixos.

No entanto, um CDB atrelado ao CDI sempre estaria ganhando ao menos alguma coisa. Um CDB prefixado, no caso de alta da inflação e dos juros, ficaria engessado. Quanto mais distante o seu vencimento, mais nebuloso é o seu destino à frente e não é uma ideia agradável ver os preços ficarem mais altos a cada dia, o dinheiro custando mais caro, e o seu capital ficando preso a uma remuneração inferior a essas mudanças.

  1. RISCOS DO CDB

riscos

O risco de um CDB é baixo independentemente da sua modalidade – pós-fixado, prefixado, com liquidez, sem liquidez ou com carência. Até R$ 250 mil por instituição e CPF, o CDB é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito. Então, se o banco emissor for a falência, você recebe seu dinheiro de volta mais os juros decorridos até então.

O maior risco de um CDB diz respeito à liquidez. Se você precisar do dinheiro, pode ter que vender seu título antecipadamente obtendo um valor menor por ele, podendo até mesmo ter prejuízo. Porém, o risco de liquidez fica pequeno se você tem outras aplicações que possam ser movimentadas com mais facilidade. Por exemplo, um fundo ou mesmo títulos do Tesouro Direto. Como sempre, planejamento reduz qualquer risco.

Outro risco é o de oportunidade: se o CDI cair excessivamente, talvez você pudesse ter colocado seu dinheiro em um investimento cujo indexador tivesse apresentado mais vantagens no período ou em um CDB prefixado ou, quem sabe, em um título prefixado do Tesouro Direto, num COE ou usando esse valor para investir na bolsa de valores. Mas é preciso dizer que, se o investimento acompanhou os juros básicos, dificilmente ele terá perdas consideráveis, mas somente ficará em desvantagem em relação a outras opções disponíveis no mercado.

  1. COMO INVESTIR EM CDB

COMO INVESTIR EM CDB

  1. Abra uma conta em uma corretora: só uma corretora oferecerá opções de CDB variadas, com durações e remunerações vantajosas
  2. Esteja certo se você pode guardar o dinheiro por algum tempo ou se você precisa de liquidez diária. Para tanto, veja se você tem um objetivo, qual o prazo dele e de quanto você precisará nessa data
  3. Pesquise entre as diversas opções: diferentes bancos oferecem diferentes taxas de remuneração
  4. Não esqueça de considerar o imposto de renda correspondente ao período em que deixará o dinheiro no CDB. A partir de 2 anos, a alíquota é de 15%
  5. Você não precisa colocar todo o seu dinheiro em um único CDB. Pode colocar em CDBs com diferentes prazos e características. Mas lembre-se: valores maiores costumam obter taxas de remuneração melhores
  6. Não esqueça de limitar o valor em até R$ 250 mil por instituição para ter a garantia do Fundo Garantidor de Crédito
  1. CONCLUSÃO

conclusao

O Certificado de Depósito Bancário ou CDB é uma excelente e segura opção para investimento em renda fixa sobretudo para o longo prazo indicada para investidores conservadores que não gostam de correr risco ou que pretendem proteger ao menos uma parte de suas economias.

Claro, há também opções com liquidez, embora não apresentem as melhores taxas. Ainda assim, estas são mais interessantes que deixar o dinheiro parado na conta corrente ou na caderneta de poupança.

Mesmo sendo uma opção muito segura, é muito importante que o investidor busque as melhores opções dentre o infinito leque oferecido pelas instituições bancárias, considerando seus objetivos, o prazo pelo qual poderá deixar seu dinheiro no CDB, o imposto de renda e as demais opções de renda fixa, como LCI e LCA.

Sem dúvida, a melhor maneira de investir em um CDB é através de uma corretora de valores como a XP Investimentos, que não cobra taxa para esse tipo de aplicação. Além disso, uma corretora oferece opções de CDB emitidos por bancos menores que, por precisarem ser mais competitivos oferecem taxas mais vantajosas de remuneração.

Banners Blog-03

Avaliação dos Leitores
[Total: 9 Média: 4.6]

[contact-form-7 404 "Not Found"]
Avaliação dos Leitores
[Total: 9 Média: 4.6]