Telefone0800.600.4780 ou (43) 3026.4780, de seg. à sex, das 08:45 às 18:00 Whatsapp (43) 98427.4203

O QUE É PGBL?

PGBL ou Plano Gerador de Benefício Livre é um tipo de plano de previdência privada. O investidor acumula valores durante um prazo contratado, geralmente muitos anos, e, depois desse tempo, passa a receber um valor mensal vitaliciamente ou durante um período estipulado na contratação. São duas fases: a fase de acumulação e a fase em que o investidor passa a receber os rendimentos. Também há a possibilidade de se recolher todo o valor acumulado de uma vez. Seja para gastar ou para reinvestir em outras opções do mercado.

Ainda existem opções de PGBL em que o investidor pode transferir os benefícios para outra pessoa após sua morte.

QUAL É A RENTABILIDADE DO PGBL?

Não é possível saber qual será o rendimento desse investimento. Tudo depende de como o PGBL será administrado, a condição da economia, do plano escolhido. As taxas de administração e carregamento também têm papel importante no rendimento final do plano. Se o investidor quiser fazer uma escolha mais coerente com seu perfil e expectativas, pode escolher entre um Plano Soberano, em que os investimentos são todos em Títulos do Governo, um Plano de Renda Fixa, que tem em sua carteira Títulos do Governo e Títulos de Renda Fixa, ou um Plano Composto, com 51% em renda fixa e 49% em renda variável (de um modo geral ações).

PARA QUEM É INDICADO PGBL?

O PGBL é indicado geralmente para quem quer garantir uma renda extra para quando se aposentar ou para quando estiver com a capacidade de trabalho reduzida. No PGBL, você pode deduzir o valor pago em imposto de renda em até 12% da sua renda bruta no ano. Considerando isso, o PGBL é mais indicado para quem usa o formulário completo do Imposto de Renda e pagam o imposto na fonte.

QUAIS OS RISCOS DE INVESTIR EM PGBL?

O primeiro risco é a empresa responsável pela previdência privada quebrar. Outra possibilidade é o plano não ter um desempenho tão bom quanto o esperado ao longo dos anos.

COMO É A TRIBUTAÇÃO DE PGBL?

O Imposto de Renda do PGBL só é cobrado ao final do plano, quando o investidor passa a receber o benefício. Porém, a alíquota de imposto incide sobre todo o dinheiro poupado e não só sobre os rendimentos. Daí a possibilidade de abater as contribuições para o PGBL da renda bruta anual. Por exemplo, se o investidor recebe R$ 100 mil por ano e paga R$ 12 mil por ano ao PGBL, poderá abater R$ 12 mil de sua renda bruta (o máximo é de 12%, portanto é bom calcular bem quanto investirá anualmente em PGBL), declarando assim apenas R$ 88 mil, Pagando menos imposto.

O PGBL ainda tem as taxas de carregamento e as taxas de administração. A taxa de carregamento diz respeito ao valor aplicado a cada vez. Costuma ficar na média de 3%, mas pode chegar a 5%. Numa taxa de carregamento de 4%, por exemplo, a cada R$ 100 aplicados, apenas R$ 96 são acumulados. A taxa de administração é cobrada anualmente sobre o valor total do investimento e fica entre 1,5% e 2%. Observando isso, pode-se dizer que um plano de previdência é uma opção mais cara de investimento, porém é preciso observar que se trata de um seguro e uma escolha mais prática para quem prefere se precaver para o futuro sem se preocupar em gerenciar um fundo de investimento.

COMO FUNCIONA O PGBL?

Você precisa ter uma conta com a Equipe Trader e XP Investimentos. A seguir precisa escolher se prefere um plano Soberano, Renda Fixa ou Composto. Também deve optar por contribuições mensais, semestrais e anuais e qual o tamanho delas.

QUAIS OS TIPOS DE PGBL?

  • Plano Soberano, em que os investimentos são todos em Títulos do Governo.
  • Plano Renda Fixa, que tem em sua carteira Títulos do Governo e Títulos de Renda Fixa.
  • Plano Composto, com 51% em renda fixa e 49% em renda variável, de um modo geral ações.

VANTAGENS E DESVANTAGENS DO PGBL

Vantagens

  • Boa opção para garantir rendimentos para a aposentadoria, sem se preocupar em como investir esse dinheiro.
  • Pode-se sacar o dinheiro antes do término do plano.
  • Possibilidade de deduzir as contribuições ao plano da renda bruta anual na declaração do Imposto de Renda.

Desvantagens

  • Há o pagamento no final do plano e ele incide sobre o valor integral dos benefícios e valores acumulados, não só sobre os rendimentos.
  • Taxa de administração, que incide anualmente sobre o valor total da aplicação.
  • Taxa de carregamento, que incide sobre cada contribuição.

[contact-form-7 404 "Not Found"]