O QUE É O CDB

A maneira mais simples de explicar o que é CDB (Certificado de Depósito Bancário) a alguém que ainda não conhece essa modalidade de renda fixa é dizer que se trata de um empréstimo que o investidor faz a um banco.

Transcorrido um período determinado, depois que o banco usou este empréstimo e o de diversos outros investidores, ele devolve o dinheiro acrescido de juros, também combinados anteriormente.

Para falar de uma maneira um pouco mais técnica, os CDBs são títulos que representam uma dívida do banco com o investidor. Parte dos valores captados através dos CDBs são usados para financiar crédito direto ao consumidor – cheque especial, por exemplo – giro para empresas e financiamentos de bens, como automóveis.

Os CDBs possuem uma data combinada de vencimento, que pode ser de 30 a 1080 dias. Caso o investidor deseje resgatar seu investimento em CDB antes desse período de vencimento, usaremos o termo “carência”, ou seja, o período mínimo de dias no qual o investidor deve permanecer com este CDB. Essa carência pode ser de duas formas, diretamente para o banco emissor que recomprará o CDB, ou através do mercado secundário, onde você negocia com outro investidor.

Com a Equipe Trader Agente Autônomo de Investimentos você pode investir a partir de R$ 3.000,00 em CDB.

QUAL É A RENTABILIDADE DO CDB?

Os rendimentos podem ser prefixados, pós-fixados ou flutuantes (indexados). Inclusive, pode haver mais de uma base para os juros: prevalece a que for mais vantajosa ao cliente.

Os CDBs rendem a partir de uma taxa bruta de juros anual, sem considerar a tributação.

Essa modalidade de investimento está atrelada ao CDI (pós), uma taxa derivada dos Certificados de Depósito Interbancários – fluxo de dinheiro entre bancos e que gira em torno de 14,14% a.a. (19/11/15) Veja a taxa atual no site da CETIP.

Ao escolher um CDB para investir, procure aquele que melhor se encaixa ao seu perfil, que pode ser de curto, médio ou longo prazo e conservador a mais arrojado. Existem CDBs com lastro para operações no mercado de ações e futuros, sendo muito comum e vantajoso colocá-los em garantia. As taxas do pré são em torno de 18,5% a.a. (13/11/15). As do pós você encontra a partir de 93% do CDI, chegando a 123% (consulte sempre nossos assessores ou invista clicando aqui).

Diferentemente da poupança, que só rende nos dias de aniversário dos respectivos depósitos, o rendimento do CDB é diário.

PARA QUEM É INDICADO O CDB?

O CDB é indicado para quem tem um perfil mais conservador ou para quem quer garantir o rendimento de uma parte, maior ou menor, de seu capital total, cujo restante pode estar em investimentos de maior risco.

É indicado para investimentos de curto a longo prazo, mas nunca é demais lembrar: se você resgatar seu investimento antes do tempo, a rentabilidade pode ser menor do que o planejado.

 

QUAIS OS RISCOS DE INVESTIR EM CDB?

Como se trata de um empréstimo que você está fazendo a uma instituição bancária, o risco é muito baixo. Ainda que essa instituição vá à falência, valores até R$ 250 mil são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito por CPF e por Instituição.

Outro risco é o investidor precisar do dinheiro antes do vencimento do CDB, o que reduz os juros e aumenta a incidência de imposto.

COMO É A TRIBUTAÇÃO DO CDB?

Eles são tributados com o imposto sobre operações financeiras (IOF) – para períodos inferiores à 30 dias, e todos sofrem incidência do Imposto de Renda na Fonte (IR) – Tabela regressiva de IR. Quanto mais tempo o investidor ficar com o CDB, menores serão as taxas, de acordo com uma tabela regressiva.

COMO FUNCIONA O CDB?

Os bancos precisam de dinheiro para financiar o cheque especial de seus clientes, o empréstimo para capital de giro de empresas e financiamento da compra de bens duráveis.

Para isso, eles contam com o empréstimo dos investidores interessados em CDB. Com o dinheiro do CDB, as instituições dão conta dessas movimentações e, ao final de um prazo, o dinheiro é devolvido ao cliente acrescido de juros previamente combinados, geralmente indexados pelo CDI, que poderão ser prefixados ou indexados pelo CDI ou Inflação.

Quanto maior o prazo do CDB, menor será a incidência de IOF e Imposto de Renda Retido na Fonte e maiores os juros recebidos, maximizando assim seu retorno no investimento.

QUAIS OS TIPOS DE CDB?

  • CDB prefixado: ideal para quem não quer correr nenhum tipo de risco no que diz respeito a quanto terá ao final do investimento. A taxa contratada é mantida independentemente da oscilação dos juros das movimentações entre os bancos. Os prefixados são indicados quando a taxa de juros está alta, mas com tendência de queda.
  • CDB pós-fixado: o risco deste CDB continua a ser baixo, porém você não sabe exatamente quanto será o seu lucro, pois ele está atrelado estritamente ao CDI, à taxa relativa às movimentações interbancárias. Este é o tipo mais comum. Indicado para quando a tendência da taxa é subir ou permanecer alta.
  • CDB indexado a um índice da inflação: o CDB que paga um índice de inflação mais juros é indicado para quem quer proteger o poder de compra no longo prazo e ainda obter um ganho real.

QUAIS SÃO AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CDB?

Vantagens

  • Baixíssimo risco
  • Liquidez que poderá ser diária
  • Segurança (garantido pelo FGC até 250 mil reais por CPF e Instituição)
  • Possibilidade de investimento a partir de R$ 3.000,00
  • Rendimentos acima da Caderneta de poupança

Desvantagens

  • Imposto de Renda Retido na Fonte (em períodos curtos)
  • IOF maior no caso de resgate antes do prazo (para resgates inferiores à 30 dias).

[contact-form-7 404 "Not Found"]