Telefone0800.600.4780 ou (43) 3026.4780, de seg. à sex, das 08:45 às 18:00 Whatsapp (43) 98427.4203

O QUE É OFERTA PÚBLICA?

IPO ou, em inglês, Initial Public Offering ou, em português, Oferta Pública Inicial é a estreia de uma empresa na bolsa de valores depois de ter decidido abrir o seu capital. A partir da IPO os investidores, pessoas físicas e jurídicas, podem começar a comprar ações dessa empresa. Assim, não é sempre que se pode investir em uma IPO.

QUAL É A RENTABILIDADE DA OFERTA PÚBLICA?

Depende do quanto se pagou pelas ações na oferta inicial e de como elas desempenharem nas horas e nos dias seguintes. Não há como estimar com precisão qual a rentabilidade de um investimento como este. Não existem informações sobre o comportamento daquelas ações, pois antes elas nem existiam, e além de tudo as informações sobre a empresa são mais restritas. Algumas vezes, os bancos emissores das ações acabam sobrevalorizando o seu preço inicial através de seus métodos. Além disso, algumas IPOs podem sair prematuras no afã de atrair o público comprador. Não é incomum que empresas comecem na bolsa com suas ações em queda.

PARA QUEM É INDICADO OFERTA PÚBLICA?

As IPOs são indicadas a investidores que suportam bem o risco e tem informações de qualidade sobre a empresa em que querem investir. Mas, normalmente, os únicos recursos que têm as pessoas físicas são o prospecto e a rede de boataria que circunda este tipo de evento e à qual é melhor não ouvir. Também existem os “flippers”, aqueles investidores que participam da IPO e, já no primeiro dia, revendem as ações, surfando numa eventual grande procura pelos ativos e consequente valorização do papel. Na época da abertura de capital da BM&FBovespa, a bolsa desenvolveu um filtro anti-flippers a fim de excluir da participação da IPO pessoas físicas e jurídicas que já haviam flipado anteriormente.

QUAIS OS RISCOS DE INVESTIR EM OFERTA PÚBLICA?

O maior risco é que o preço cotado inicial, aquele pelo qual as ações são compradas na Oferta Pública, esteja sobrevalorizado de acordo com o mercado. Se isso acontecer, essa ação começa na Bolsa de Valores já em queda. Os preços continuam a cair até que se atinja um valor adequado que volte a atrair compradores, estabilizando-o ou retomando uma tendência de alta.

COMO É A TRIBUTAÇÃO DE OFERTA PÚBLICA?

Como se trata da compra de ações, com a única diferença, que a operação é feita na estreia da empresa na bolsa de valores, a tributação do Imposto de Renda é a mesma: 15% sobre os lucros em meses com vendas superiores a R$ 20 mil – recolhidos pelo próprio investidor através de DARF no dia 30 do mês seguinte – e 20% para operações no mesmo dia, no caso de flippers.

COMO FUNCIONA A OFERTA PÚBLICA?

O investidor precisa ter conta com a Equipe Trader e XP Investimetnos. Descubra o período de reservas das ações e reserve as suas. Pode ser que as reservas não sejam aceitas integralmente: no caso da Bovespa, por exemplo, os investidores poderiam fazer reservas de R$ 3.000 a R$ 300 mil, mas a procura foi tão grande que os pedidos máximos atendidos foram de R$ 12 mil. Para a BM&F, os limites serão de R$ 5 mil a R$ 300 mil. Depois de feita a reserva, o valor correspondente deve estar na conta da corretora no dia da IPO.

QUAIS AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DA OFERTA PÚBLICA?

Vantagens

  • Pode apresentar ganhos em curto prazo, no momento da estreia da ação na Bolsa de Valores.
  • Investidor acessa facilmente a IPO fazendo uma reserva ao número de ações que quer comprar, diretamente com a corretora.

Desvantagens

  • A ação pode estrear em queda se o preço na Oferta Pública estiver alto demais.
  • Se a procura for muito grande, o número de ações por participante pode ser limitado.
  • Incidência de imposto de renda sobre os lucros.

[contact-form-7 404 "Not Found"]