Telefone0800.600.4780 ou (43) 3026.4780, de seg. à sex, das 08:45 às 18:00 Whatsapp (43) 98427.4203

O QUE É UM CLUBE DE INVESTIMENTO?

Uma das melhores maneiras de minimizar os riscos na Bolsa de Valores é diversificar as ações em que se investe, apostando em diferentes empresas e setores ao mesmo tempo. Mas isso nem sempre está ao alcance do pequeno investidor, individualmente: um lote de ações pode ser suficiente para atingir o montante máximo que ele espera investir nos riscos da renda variável. Uma maneira fácil e inteligente de diversificar são os Clubes de Investimento. É o que o nome sugere: diversos investidores juntam suas forças para, juntos, compor uma carteira cujo lucro (ou prejuízo) será dividido por todos os participantes proporcionalmente ao valor com que se colaborou. A partir do momento em que o investidor se torna cotista de um clube de investimentos pode ajudar a decidir em que ações investir ou em que opções de renda fixa o clube deve proteger parte de seu montante e também quanto será esse montante. É como se fosse um fundo de investimento, mas no caso do clube de investimento, a pessoa envolvida tem chances de influenciar as decisões. Eles podem ser formados por no mínimo 3 pessoas e, no máximo, 150.

QUAL É A RENTABILIDADE DE UM CLUBE DE INVESTIMENTO?

Como clubes de investimento se dedicam principalmente aos mercados de renda variável, é difícil dizer qual o rendimento de um. Vai depender de quanto do montante está em renda variável (pelo menos 51% do total), de quanto está protegido em renda fixa, do desempenho das ações e do mercado e da validade das decisões votadas pelos membros do clube. Além disso, na diversidade de opções de um clube de investimento há o risco cambial.

PARA QUEM É INDICADO UM CLUBE DE INVESTIMENTO?

É uma boa opção sobretudo para aqueles que querem diversificar os mercados em que investem, mas que, ainda, não têm dinheiro suficiente para isso. Com vários participantes envolvidos fica mais fácil dividir os investimentos, seguindo o preceito de “não colocar os ovos numa cesta só”. Como se trata de renda variável, os participantes devem estar cientes de que há riscos muito maiores do que na renda fixa.

QUAIS OS RISCOS DE INVESTIR EM UM CLUBE DE INVESTIMENTO?

Os riscos totais são os inerentes a cada um dos riscos dos investimentos individuais do clube: ações e opções, por exemplo, apresentam mais riscos. Se boa parte do montante auferido pelo clube estiver em renda fixa, o risco é amortizado. O maior risco, talvez, venha da inexperiência dos cotistas que, eventualmente, podem tomar decisões erradas quanto à em que investir.

COMO É A TRIBUTAÇÃO DE UM CLUEBE DE INVESTIMENTO?

No resgate de cotas de clubes de investimento – cujas carteiras sejam constituídas, no mínimo, por 67% de ações negociadas no mercado à vista – incidem 15% de Imposto de Renda sobre os rendimentos. O recolhimento não é feito pelo cotista, mas pelo administrador do clube, no terceiro dia útil da semana seguinte à do resgate.

A carteira do Clube de Investimento entre 51% e 67% dos recursos investidos em ações a tributação é como a da renda fixa: semestral, com vencimento da carência, com alíquota que vai de 15% a 22,5%, no resgate, de acordo com o tempo de aplicação. Quanto maior o tempo, menor a alíquota.

COMO FUNCIONA UM CLUBE DE INVESTIMENTO?

Muitas corretoras já possuem clubes de investimento montados. Nesse caso, basta verificar se a cota máxima de 150 participantes já foi atingida. Se você quer criar um clube de investimento para seus amigos e parentes, a corretora também fornecerá todos os passos para a criação de um (uma dica: clubes de investimento são mais fáceis com pessoas que não se conhece tão bem quanto amigos e parentes; evita brigas). Uma das coisas que deverá ser decidida é o valor das cotas e quantas cada um dos cotistas irá comprar. Ninguém pode ter mais de 40% das cotas. Então é feito um estatuto e o clube é registrado na BM&FBovespa e na Receita Federal. Os membros do clube decidem como o dinheiro será aplicado com a assessoria da corretora, que realiza a transação. De tempos em tempos, acontece uma assembleia geral para mostrar resultados e definir os rumos do investimento.

Entre 51% e 67% dos investimentos do clube de investimento devem estar em debêntures conversíveis em ações de companhias abertas, cotas de fundos de índices de ações negociados em mercado organizado, certificados de depósitos de ações, bônus de subscrição e outros.

O restante pode ser aplicado em outros valores mobiliários de emissão de companhias abertas, cotas de fundos de investimento das classes “curto prazo”, “referenciado” e “renda fixa”, títulos públicos federais, títulos de responsabilidade de instituição financeira e opções.

Existem três figuras fundamentais no clube de investimento:

  • O administrador: é ele quem cuida do funcionamento do clube. Deve ser uma corretora de valores ou empresa similar.
  • O custodiante: geralmente é a CBLC, responsável pela guarda dos ativos.
  • O gestor: responsável pela compra e venda dos ativo, buscando a melhor rentabilidade, conforme os objetivos e a política de investimento estabelecida no regulamento do clube. Pode ser um banco, uma empresa independente ou uma pessoa física, desde que registrada na CVM.

VANTAGENS E DESVANTAGENS DE UM CLUBE INVESTIMENTO

Vantagens

  • Diversificação de riscos.
  • Possibilidade de começar a investir a partir de um valor baixo como R$ 100.
  • Acesso a investimentos que normalmente não estão acessíveis aos pequenos.
  • Uma boa maneira de aprender a investir ao lado de pessoas mais experientes.
  • Baixa taxa de administração.
  • É o administrador quem recolhe o imposto de renda.

Desvantagens

  • Imposto de renda.
  • Investir com outras pessoas nem sempre é uma experiência fácil, embora possa ser enriquecedora em todos os sentidos.
  • Não são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito.
  • O administrador do clube precisa ser alguém com experiência.
  • Taxas de administração altas podem comer os lucros.

[contact-form-7 404 "Not Found"]