Telefone0800.600.4780 ou (43) 3026.4780, de seg. à sex, das 08:45 às 18:00 Whatsapp (43) 98427.4203

O QUE SÃO FUNDOS DE INVESTIMENTO?

Os fundos de investimento são provavelmente a forma mais prática de um investidor diversificar e, portanto, minimizar os riscos usando apenas uma aplicação. Um fundo de investimento junta os recursos de diversos investidores que, ao fazer parte de um fundo de investimento, se tornam cotistas deles. Somados todos esses recursos eles serão aplicados em diferentes ativos, de acordo com a característica do fundo – com mais ou menos risco, com mais ou menos agressividade, com mais ou menos renda variável ou fixa. Esta cesta de ativos pode incluir Títulos de Renda Fixa, Títulos Públicos, Títulos Cambiais, Derivativos, Commodities, Ações e outros.

O fundo é gerido pelos gestores e administradores. Os primeiros cuidam das estratégias de investimento e os segundos dos aspectos jurídicos. Um fundo de investimento é como se fosse um condomínio de investidores. Não há um número mínimo ou máximo de cotistas. Eles não têm prazo, mas podem ter um prazo para serem extintos, conforme o caso. No estatuto do fundo são conhecidas as regras para entrada de novos cotistas, os valores mínimos para investir, prazos mínimos, política de compra e venda de ações, taxa de performance e taxa de administração.

QUAL É A RENTABILIDADE DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO?

A rentabilidade de um Fundo de Investimento depende muito da cesta de ativos em que ele está investindo. Ao investir em um Fundo de Investimento é necessário observar qual o perfil dele, quanto do valor total irá para a renda variável e que tipo de renda variável e quanto irá para a renda fixa e que tipo de renda fixa. Vale a pena dar uma olhada no desempenho do Fundo de Investimento no ano e nos últimos doze meses, mas sempre lembrando que desempenhos passados nunca são garantia de desempenhos futuros.

PARA QUEM É INDICADO OS FUNDOS DE INVESTIMENTO?

O Fundo de Investimento é uma das melhores formas de o pequeno investidor diversificar, isto é, não colocar os ovos em uma cesta só. Diversificar é a melhor forma de reduzir riscos. Ainda assim, é preciso estar atento porque alguns fundos tem perfil mais agressivo e podem ter oscilações maiores ou menores de acordo com a flutuação do mercado. Há Fundos de Investimento para todos os perfis de investidores, dos mais conservadores aos mais agressivos, no entanto. É importante ler o prospecto e o regulamento de um fundo de investimento antes de investir.

QUAIS OS RISCOS DE INVESTIR EM FUNDOS DE INVESTIMENTO?

O risco de um fundo de investimento depende do perfil do pacote de ativos em que ele irá investir o total do montante fornecido por todos os seus cotistas. Normalmente, isso é demonstrado no prospecto do fundo. Via de regra, quanto maior o percentual de capital investido em renda variável, maior o risco. Quanto maior o percentual de capital investido em renda fixa, menor o risco.

A custódia do fundo costuma ser feita pela CBLC. Assim, se a empresa responsável pelo fundo quebrar, os valores estarão seguros e garantidos.

Todo fundo precisa ter um auditor independente, que vai verificar periodicamente se as regras do fundo estão sendo cumpridas e que também vai auditar os balanços do fundo.

COMO É A TRIBUTAÇÃO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO?

Se o pacote de ativos tiver mais de 67% em ações, recibos de subscrição em ações, certificados de depósitos de ações, Brazilian Depositary Receipts, cotas de fundos de ações e cotas de fundos de índices de ações, incide Imposto de Renda de 15%. Se o valor for abaixo de 67%, segue a tabela regressiva de acordo com o tempo no investimento, de 22,5% até 180 dias a 15% para aplicações acima de 720 dias. Resgates feitos antes de 30 dias sofrem também incidência de IOF.

COMO FUNCIONAM OS FUNDOS DE INVESTIMENTO?

Primeiro é preciso que você tenha uma conta com a Equipe Trader e XP Investimentos. Antes de escolher em qual fundo investir, é muito importante ler o prospecto do fundo e seus regulamentos. Um bom administrador, responsável legal, e um bom gestor, responsável pela estratégia do fundo, são fundamentais também para seu bom desempenho. Vale a pena ler sobre os desempenhos passados do fundo, lembrando que desempenhos passados não são garantia de desempenhos futuros.

Finalmente, ao assinar o termo de adesão, o cotista está concordando com os regulamentos do Fundo de Investimento, com a estratégia e tipos de ativos em que seu dinheiro será investido e atestando que leu o regulamento e os prospectos, que sabe de todas as taxas envolvidas, condições de resgate das cotas. Mensalmente, o investidor recebe um extrato de seu investimento, com o valor das suas cotas e o valor do patrimônio do fundo. Nenhum cotista pode ser titular de mais de 40% das cotas de um fundo.

As cotas são a menor fração possível do patrimônio líquido de um fundo de investimento. Seu valor muda diariamente com a oscilação do mercado e com a variação individual de cada ativo em que o fundo investe.

Além da taxa de administração, o fundo pode ter uma taxa de performance no caso de o gestor conseguir um desempenho acima do indicador de referência do fundo, mas nem todos os fundos têm essa taxa.

Periodicamente acontecem assembleias gerais de cotistas para demonstrações financeiras, substituição do gestor ou do administrador, fusão ou liquidação do fundo, aumento de taxas, mudança da política de investimento ou alteração do estatuto.

QUAIS OS TIPOS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO?

  • Fundos de Renda Fixa: voltados principalmente para renda fixa.
  • Fundos de Renda Variável: voltados principalmente para a renda variável, ações, por exemplo.
  • Fundos Multimercado: posicionam suas carteiras mercados mais variados, possibilitando maior flexibilidade para os gestores.
  • Fundos Imobiliários: os investimentos estão ligados a empreendimentos imobiliários.
  • Fundos em Direitos Creditórios – FIDC: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) é um tipo de aplicação em que a maior parte dos recursos é destinada à aquisição de direitos creditórios. Os direitos creditórios vêm dos créditos que uma empresa tem a receber, como duplicatas, cheques, contratos de aluguel e outros. O direito de recebimento desses créditos é negociável, quer dizer, a empresa o cede a terceiros e isso é feito por meio de um FIDC.
  • Exchange Traded Fund – ETF (Fundos de Índices): são fundos espelhados em índices e suas cotas são vendidas na bolsa como se fossem ações.
  • Fundos Cambiais: Os fundos de investimento cambiais têm por objetivo concentrar o investimento de seus recursos em títulos relacionados à variação de preços de uma moeda estrangeira ou de uma taxa de juros denominada cupom cambial.
  • Fundos da Dívida Externa: Os fundos de investimento da dívida externa têm por objetivo o investimento de, no mínimo, 80% de seus recursos em títulos representativos da dívida externa de responsabilidade da União negociados no mercado internacional.
  • Fundos em Cotas de Fundos de Investimentos: são fundos que investem em fundos.
  • Fundos Off-Shore: investem em recursos no exterior.

VANTAGENS E DESVANTAGENS DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS

Vantagens

  • Baixo valor inicial para investir.
  • Diversificação através de um único investimento.
  • Fácil de movimentar.
  • O gestor cuida de tudo para o investidor.
  • Acesso a investimentos inacessíveis aos investidores de menor porte.
  • Quem recolhe o imposto de renda é o administrador.
  • Liquidez.
  • O patrimônio tem custódia da CBLC: se a empresa quebrar, o fundo está seguro.

Desvantagens

  • Sem garantia do Fundo Garantidor de Crédito.
  • Maior risco que um investimento em renda fixa puro e simples, tanto maior a porcentagem do patrimônio em renda variável.
  • Taxas de administração e taxas para a Anbima e CVM.
  • O investidor tem que acatar a decisão dos cotistas e confiar em terceiros para administrar seu capital.
  • Imposto de renda.

[contact-form-7 404 "Not Found"]